Fique Onde Está e Então Corra

“Ele tinha feito pela melhor razão do mundo. Por amor”. 

Nesse, que é um dos meus livros favoritos, John Boyne, autor de “O menino do pijama listrado”, consegue, mais uma vez, usar o ambiente trágico de uma guerra para criar uma história linda. Ao usar, novamente, uma criança como personagem principal, ele retoma o olhar simples, que só a infância oferece, em meio ao caos.

imagem.aspx

Alfie Summerfield conhece a guerra com apenas cinco anos de idade, quando, em seu aniversário, quase nenhum amigo aparece. Algo que não fez sentido para o pequeno garoto, mas os adultos já compreendiam, a Primeira Guerra Mundial havia acabado de começar. Seu pai, a exemplo de quase todos os outros homens, se alista a uma guerra que “acabaria antes do natal”, mas é prorrogada por 4 longos anos. Nesse meio tempo, Alfie é forçado a uma realidade diferente, onde tudo a sua volta passa por constantes mudanças, fazendo com que ele assuma responsabilidades que antes eram destinadas apenas aos adultos. Todavia, o pior para Alfie foi perder o contato com o seu pai. Quando a guerra acaba, Alfie encontra uma pista que pode levá-lo ao paradeiro do pai, porém, cumprir essa missão mobilizará todas as suas forças. Mas Alfie já aprendeu que quando a resposta para a pergunta “Porque você está fazendo isso? ” for “Pela melhor razão do mundo. Por amor” então ele está fazendo a coisa certa.

*Fique onde está e então corra foi publicado pela Seguinte, selo jovem da editora Companhia das Letras.

*O post de hoje foi escrito pela mais nova colaboradora do blog, a Carol!*